Obesidade e Cirurgia Bariátrica

Obesidade_e_Cirurgia_Bariátrica-reducao-

A obesidade mórbida vem aumentando rápida e progressivamente no mundo ocidental. São consequências desta doença a apneia do sono, diabetes tipo 2, artrite degenerativa, hipertensão arterial, coronariopatia, dislipidemia, AVC.

Tem sido relatado um aumento da morbimortalidade em homens e mulheres com obesidade moderada ou avançada.

O objetivo da cirurgia não é apenas a perda de peso mas também a cura e melhor controle das comorbidades associadas à obesidade.

Os tratamentos devem objetivar o bem estar e a saúde do indivíduo, para diminuição dos riscos de doenças associadas.

 

Podemos encontrar 2 tipos de distribuição corporal da gordura. A obesidade central, também conhecida como obesidade "em forma de maçã" ou "masculina", e ocorre quando os depósitos primários de gordura estão ao redor dos órgãos abdominais (gordura visceral). Esse tipo de obesidade está associado à maior morbidade que a obesidade periférica (deposição de gordura nas extremidades e coxas), devido ao aumento do metabolismo da gordura visceral. A obesidade central é um dos principais fatores de risco para o desenvolvimento da síndrome metabólica, uma combinação de distúrbios que aumentam o risco cardiovascular. Fazem parte da síndrome metabólica a hipertensão, diabetes, colesterol elevado, entre outros.

Causas 

Como principais causas, podemos citar:

  • Genética: a obesidade muitas vezes pode ser atribuída a genes e anormalidades dos transmissores hormonais ao hipotálamo ou ao centro da saciedade que pode causar a interrupção das tendências normais do apetite.

  • Psicologia: impulsos de dependência oral psicologicamente induzidos, problemas emocionais e a depressão podem levar à obesidade.

  • Estilo de vida: dieta pobre e baixos níveis de atividade diária são contribuintes para a obesidade. 

Riscos à saúde

A obesidade está associada a muitas consequências para a saúde, como hipertensão arterial, doenças respiratórias e cardíacas, problemas lipídicos e diabetes, e tem sido implicada em alguns tipos de cânceres.

 

Obesidade e o Índice de Massa Corporal

O índice de massa corporal (IMC) é uma maneira padrão de definir sobrepeso, obesidade e obesidade mórbida. O IMC é a medida da gordura corporal com base na altura e no peso. (Peso em Kg/altura em metros2)

tabela imc dr james fukuda.jpg

A obesidade grave ou mórbida é definida como um IMC (índice de massa corporal) de 40,0 ou superior. Ou ainda um IMC de 35,0 ou superior na presença de pelo menos uma outra comorbidade significativa, como as condições crônicas listadas a seguir.

 

Os critérios para a cirurgia incluem:

       - IMC maior que 40kg/m2

       - IMC acima de 35 kg/m2 associado a comorbidades.

- Diabetes
- Apneia do sono
- Hipertensão arterial
- Dislipidemia
- Doenças cardiovasculares (incluindo doença arterial coronariana, infarto de miocárdio, angina, insuficiência cardíaca congestiva, acidente vascular cerebral, hipertensão e fibrilação atrial, cardiomiopatia dilatada)
- Cor pulmonar e síndrome de hipoventilação
- Asma grave não controlada
- Osteoartroses
- Hérnias discais
- Refluxo gastroesofágico com indicação cirúrgica
- Colecistopatia calculosa
- Pancreatites agudas de repetição
- Esteatose hepática
- Incontinência urinária de esforço na mulher
- Infertilidade masculina e feminina
- Disfunção erétil
- Síndrome dos ovários policísticos
- Veias varicosas e doença hemorroidária
- Hipertensão intracraniana idiopática 
- Estigmatização social e depressão

 

O tratamento da obesidade deve ser realizado por uma equipe multidisciplinar composta por um Cirurgião bariátrico, um Médico clínico geral ou endocrinologista, um Psiquiatra ou Psicólogo, um Nutricionista e um Fisioterapeuta.

dr james fukuda logo.png