Hérnias da Parede Abdominal

Hérnias_da_Parede_Abdominal-tratamento-d

A hérnia ocorre quando um órgão se projeta através de um orifício na musculatura abdominal que o circunda. Existem vários tipos diferentes de hérnias que podem ocorrer nas áreas abdominais e adjacentes. São as hérnias inguinais, umbilicais, hérnias epigástricas, hérnias incisionais e outras.

Tipos de hérnias da parede abdominal

Hérnia Epigástrica

Uma hérnia epigástrica ocorre quando uma área enfraquecida na parede abdominal permite que um pouco de gordura passe através dela. As hérnias epigástricas são tipicamente pequenas e ocorrem no meio do abdome, na área entre o umbigo e o esterno.

 

Alguns pacientes podem desenvolver mais de uma hérnia epigástrica simultaneamente. Essas hérnias geralmente não causam sintomas, mas podem ocasionar dor, e quando encarceradas requerem tratamento cirúrgico imediato

 

O tratamento de hérnias epigástricas é exclusivamente cirúrgico, seu médico discutirá todas as suas opções com você em detalhes.

Hérnia inguinal

 

São as hérnias que ocorrem na região da virilha. Mais frequentes em homens, são decorrentes de um enfraquecimento da musculatura inferior do abdome ou da permanência de uma comunicação entre a cavidade abdominal e a bolsa escrotal.

O principal sintoma é a dor local, e sua principal complicação é o encarceramento e estrangulamento do conteúdo herniado.

Seu tratamento é cirúrgico.

Hérnia incisional

É uma hérnia que ocorre sobre uma cicatriz de incisão prévia. Essas hérnias podem ocorrer quando a parede abdominal está enfraquecida pela cirurgia ou quando uma incisão cirúrgica é infectada, enfraquecendo ainda mais a área. Essa fraqueza permite mais facilmente que uma parte do intestino ou outro tecido se projete formando a hérnia.

 

As hérnias incisionais podem se desenvolver logo após a cirurgia ou lentamente, ao longo de meses ou mesmo anos. Tendem a ser grandes e bastante dolorosas. Seu tratamento é cirúrgico.

Hérnia umbilical

Esse tipo de hérnia frequentemente ocorre em bebês, consequente a um orifício na musculatura abdominal deixado pelo cordão umbilical. Na maioria das vezes, a hérnia umbilical se cura sozinha, porém em alguns casos a cirurgia pode ser necessária.

 

As hérnias umbilicais também ocorrem em adultos, particularmente aqueles com problemas de saúde que causam aumento da pressão abdominal. Essas questões podem incluir obesidade, gravidez, tosse crônica ou constipação e dificuldade para urinar.

 

Pelo fato das hérnias terem a tendência de crescimento de acordo com o esforço físico empregado ao longo do tempo, elas requerem tratamento, que geralmente envolve cirurgia, mas seu médico discutirá todas as suas opções com você em detalhes. Sem tratamento, há a possibilidade do paciente desenvolver uma hérnia estrangulada, o que significa que o fornecimento de sangue ao tecido herniado foi interrompido. Esse tipo de acontecimento é uma ameaça à vida e requer cirurgia de emergência.

 

Sintomas

As hérnias da parede abdominal são geralmente visíveis: elas se parecem como um caroço ou protuberância sob a pele. Essas hérnias geralmente não causam outros sintomas, exceto dor leve ou desconforto quando você está fazendo esforço (por exemplo, levantando algo pesado).

 

No entanto, se a hérnia se tornar estrangulada você pode experimentar sintomas mais graves, como dor intensa, náusea, vômito e/ou vermelhidão na área da hérnia. Contacte o seu médico imediatamente se você começar a sentir esses sintomas, pois uma hérnia estrangulada pode ser fatal.

Causas:

Hérnias da parede abdominal podem ocorrer em pessoas de qualquer idade, incluindo bebês. No entanto, o risco de desenvolver uma hérnia tende a aumentar com a idade. A maioria das hérnias da parede abdominal são causadas por uma área de fraqueza. Vários fatores diferentes podem contribuir para o desenvolvimento dessa fraqueza. Esses fatores incluem:

  • Envelhecimento.

  • Tosse crônica.

  • Doenças do colágeno.

  • Frequente levantamento de peso.

  • Defeitos genéticos. 

  • Relato de hérnias anteriores.

  • Infecção (especialmente após cirurgia).

  • Lesões na área abdominal.

  • Obesidade.

  • Gravidez.

  • Esforço durante os movimentos intestinais.

  • Incisões cirúrgicas.

Diagnóstico:

Na maioria dos casos, o seu médico será capaz de determinar se você está sofrendo de uma hérnia apenas examinando a área afetada.

Se, por algum motivo, o diagnóstico não for imediatamente aparente, seu médico pode decidir pedir um exame de imagem, como ultrassonografia abdominal, tomografia computadorizada ou ressonância magnética. Estes exames de imagem podem ajudar a identificar o buraco na parede muscular, junto com o tecido que se projeta a partir dele.

Tratamento

As hérnias da parede abdominal que não apresentam sintomas associados podem não necessitar de tratamento. O seu médico irá discutir as suas opções com você, que podem incluir cirurgia ou espera vigilante.

No entanto, hérnias maiores ou hérnias que estão causando dor, podem exigir reparo cirúrgico para aliviar a dor, bem como para evitar complicações.

Existem dois tipos de correção de hérnia cirúrgica: cirurgia aberta e a minimamente invasiva. O tipo de cirurgia escolhida dependerá da gravidade e do tipo de hérnia que você desenvolveu, do tempo de recuperação previsto, do histórico médico e cirúrgico do paciente e da experiência do cirurgião.

Cirurgia Aberta: Durante este procedimento, o cirurgião fará uma pequena incisão no local da hérnia e, em seguida, empurrará o tecido saliente para o abdome. Depois, será realizado uma sutura na região enfraquecida e reforçado com a colocação de uma tela. A cirurgia aberta pode ser realizada com anestesia geral ou com sedação ou anestesia local.

Após a cirurgia, pode levar várias semanas até que você possa retomar totalmente suas atividades normais. No entanto, ainda é importante que você comece a se movimentar novamente o mais rápido possível para uma recuperação mais saudável.

Cirurgia Minimamente Invasiva: A cirurgia minimamente invasiva (laparoscopia) é tipicamente realizada sob anestesia geral. Durante este procedimento, o seu cirurgião fará algumas pequenas incisões no seu abdome. Após esse processo, ele irá inflar seu abdome, usando um gás especial, a fim de tornar seus órgãos internos mais fáceis de ver e criar o espaço físico intra-abdominal necessário para a cirurgia. A cirurgia então é realizada com o uso de uma micro câmera e pinças especiais. 

Pacientes que fazem a cirurgia minimamente invasiva podem apresentar menos cicatrizes e desconforto após a cirurgia do que aqueles submetidos à cirurgia aberta. Esses pacientes também podem retornar mais rapidamente às suas atividades normais.

Seu médico falará com você detalhadamente sobre todas as suas opções de tratamento e irá recomendar o procedimento mais adequado às suas necessidades individuais.

dr james fukuda logo.png